Review na Estrada | Pousada Manupi, ar livre e convívio | Tamandaré/PE

Por Ismael Sant'Ana

Publicado em , | Tags : , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Quando ainda estávamos em Maragogi, Alagoas, conversamos com algumas pessoas que compartilham casas na Praia do Carneiro, Porto de Galinhas e Praia do Cupe, já no Estado vizinho de Pernambuco. Não conseguimos uma só moradia no período que precisávamos, pois não havia disponibilidade integral.

Fechamos então por menos dias em dois lugares, dividindo a estadia, mas sem a empolgação que sempre nos acompanha nas horas que escolhemos novos lugares para ficarmos. Há alguns pré-requisitos que passam pela nossa curadoria (falaremos melhor sobre eles em breve), e o principal são as casas menores, que fogem dos padrões para grandes turmas e festas, com vários colchões amontoados pelos cômodos de forma desordenada, em desarmonia com o bem estar e o minimalismo que procuramos.

Temos encontrado excelentes opções, sob esse olhar, desde a Bahia, nos deixando satisfeitos na maioria dos lugares que levantamos nossa casa e escritório nômades.

De última hora, o lugar que ajustamos na Praia dos Carneiros não nos deixou mais confortáveis por algumas tentativas frustradas de parceria que eram de interesse de ambas as partes e que estavam caminhando para um desequilíbrio, confirmando a nossa intuição inicial da não empolgação.

Dia de sair de Maragogi, carro carregado e cachorros na “motorcama”, partimos para Tamandaré em busca de um lugar para ficar, com as caras e a coragem, mais uma vez. Pra facilitar, pesquisamos uma pousada pet friendly pra servir como nossa base, enquanto procuraríamos uma outra casa.

Uma estradinha linda e fresquinha assim chegando em Tamandaré/PE

Várias casas para aluguel por temporada visitadas depois, a maioria absoluta delas com uma média de 3 a 4 quartos, muitas camas, e com cara de fechadas há muito tempo, chegamos à Pousada Manupi já no início da noite, e as primeiras coisas que vimos foram uma grande área aberta, com várias mesas, bancos e espaço ao ar livre, e algumas pessoas jogando dominó próximo à piscina. Essa cena inesperada me trouxe várias lembranças do meu pai, Seu Varlô, expert no assunto, que me ensinou a arte do dominó desde guri. Bons resgates, bons sentimentos e já desci do carro dizendo: “Olha, sou bom nisso aí, hein?”. Só não sabíamos que um dos jogadores era o Armando (Manim, como prefere ser chamado), dono da pousada.

Fomos dormir e no dia seguinte, com o sol brilhando, reparamos melhor no ambiente. Uma ampla área verde, com uma grande piscina (onde até chegamos a retomar algumas doses de natação, com óculos e tudo!), varandas, redes e um ambiente aconchegante e agradável. A pousada fica na rua da praia, uma parte mais tranquila e com apenas uma pequena barraca por perto. Um pouco distante, felizmente, da área da orla com os maiores quiosques e movimento intenso. Nessa hora entendemos porque as outras casas não deram certo e como foi bom que a nossa escolha para uma noite tenha nos levado a ficar ali mesmo por alguns dias. Conversamos com o Manim, que nos recebeu de coração aberto, apoiando o nosso projeto e nos acomodando da melhor maneira.

Conversa que vai e vem, ele nos contou a sua história. De quando morou na rua, aos nove anos, passando por bastante privação, mas com o coração e a mente firmes em seu propósito, que era comprar uma casa pra sua mãe. Empreendedor nato, superou suas dificuldades, criou e aproveitou os bons encontros e oportunidades  que a vida e suas escolhas lhe deram, chegando hoje onde está, cheio de lições de vida, simplicidade, palavras firmes e diretas, gratidão e um coração grande. Uma das frases que diz, por ajudar alguns jovens pelo caminho, é que “só o amor tira uma pessoa das drogas e da violência”. O Manim nos cativou e nos deixou à vontade por lá!

A pousada é simples e o clima amigável é criado pelas pessoas atenciosas que trabalham com ele, como o Lucas, a dona Rosa, a Valquíria e a Andressa, além do próprio Manim, sempre por perto para facilitar a sua estadia. O café da manhã tem bastante comida típica nordestina, maravilhosa (cuscuz, macaxeira, inhame, batata doce, bolo de macaxeira…) e os quartos são aconchegantes, principalmente os que tem a varanda pra prosear e descansar nas redes. Apesar de alguns deles precisarem de pequenos reparos, são bem compensados pelo vasto espaço pra ser aproveitado na área externa e por ser pet friendly, claro, um raro diferencial também em Tamandaré. Usamos como nosso escritório remoto uma ampla mesa entre o restaurante, o jardim e a piscina, onde os cachorros rapidamente viraram os mascotes da área. Com vista pra todo o espaço, facilmente conhecemos outros hóspedes e suas histórias, recebendo também dicas preciosas das estradas dali para cima, além de sugestões sempre bem vindas de lugares e iniciativas pra conhecermos.

A Pousada Manupi é ideal para todas as idades, de bebês a crianças, com piscina e playground, a idosos, por ser bem tranquila e possuir quartos – e tudo o mais de seu espaço – térreos

Na segunda noite, veio o inevitável: jogar dominó com o anfitrião, relembrando os velhos tempos de Seu Varlô, apesar das regras de lá serem um pouco diferentes das que conhecia. Só por isso ele ganhou, que fique bem claro! Horas divertidas que preencheram o tempo e as memórias, e um bom cantinho pra recarregar as energias e trabalhar.

Tamandaré é uma cidade pequena, mas com uma estrutura razoável para se viver bem, com todo tipo de comércio e um Correio que funciona só até meio dia!

O momento de voltar para a estrada chegou, mas sabemos que deixamos as portas abertas e levamos a experiência que nos acrescentou tanta inspiração e admiração, com o exemplo de vida do Manim.

– – -> Para quem busca um espaço acolhedor e pet friendly na região da Praia dos Carneiros (e com ainda mais belezas ao redor), RESERVE AQUI sua estadia na Pousada Manupi! 

Com a Andressa e o Manim, casal que somos gratos por ter conhecido e convivido!

Grandes pés de caju e manga se encontram proporcionando a melhor sombra e frutos orgânicos!

Outra preciosidade em seu espaço aberto, um pé de coco amarelo, tão delicioso quanto o verde e ainda melhor pra nossa saúde! Já conhece?

Compartilhe esta história

Publicações Relacionadas