Guia Slow Pelo Brasil | Um Belo e Espaçoso Jardim com Piscina, Ar Livre de Sobra e a Praia de Atalaia Logo Ali | Aracaju/SE

Por Bruna e Ismael

Publicado em , , , , , , , , | Tags : , , , , , , , , , , , , , , , ,

Bons dias a uma certa distância de uma grande cidade e já pudemos perceber o tempo caminhar em minutos mais serenos. A sua velocidade, claro, foi a mesma, porém tivemos uma vivência tão mais natural que é como se tivéssemos voltado alguns anos, quando a tecnologia e a internet ainda não tinham nos surrupiado preciosas horas diárias.

Descansados e mais atualizados em nossas agendas, bronzeados da praia de Abaís, quase deserta, e com os ouvidos ainda em êxtase com o constante barulho do mar, nos despedimos do Luiz, Damiana e Aysha, moradores da casa aos fundos, nossos grandes apoiadores em tudo o que precisamos e muito mais! Foram deliciosas conversas, quitutes típicos (e em versões veganas também!) e gestos de gentileza que nos trazem um carinho imenso por essa família, ele de Salvador e elas dali mesmo da região de Estância. Aysha, uma menina cristal de 5 anos com suas conversas evoluídas e seu entusiasmo pela vida. Como foi bom me encantar por ela!

E seguimos: carro “mobiliado”, estradinha de terra, BR, mais alguns buracos, as imprudências de sempre – causadas pela pressa, claro – e voilá, nem deu tempo de sentir as pernas querendo se levantar e já chegamos à capital Aracaju. Que recepção! A estradinha final já é pela orla, nos apresentando o mar de faixas de areia mais amplas e grandes quiosques, um ao lado do outro, indicando que por ali todas aquelas mesas e cadeiras devem “ferver” nos fins de semana, feriados e alta temporada.

Mais um pouco pela avenida principal e chegamos em nossa nova casa (sim, consideramos estar em uma casa em uma cidade grande um luxo só!) e, dessa vez, pelo site Temporada Vip. O Chico, seu proprietário, trabalha com imóveis na cidade e, em nosso contato, foi sempre bem solícito. Ele inclusive, através desse site, oferece essas facilidades a quem busca um lugar pra ficar na cidade, tanto a “nossa” casa quanto várias outras mais, em todo o Brasil, vale a pena conferir!

Essa casa que ficamos é daquelas em que a surpresa vem aos poucos: a dois quarteirões da praia, seu portão de frente traz privacidade e segurança e, ao entrarmos, já nos deparamos com um jardim lindo, amplo, com suas folhagens e cercas vivas floridas. Bastante grama verde, mesas e cadeiras, alguma sombra, e uma piscina em um tamanho essencial pra nós dois (e até pra visitas!). Um espaço todo que é pra Claudinha e Varlô deitarem e rolarem! E a gente também, vai gostar de espaços abertos assim…

E junto a essa área maravilhosa vem mais um gramado, com uma estrutura de madeira onde pode ser criado um novo espaço com sombra e brisa fresca (perfeito pra yoga e meditação e também pra secar roupas e toalhas) e uma varanda coberta, com espaço pra redes, uma longa mesa comunitária e mais cadeiras. Imagina se passamos mais tempo fora do que dentro da casa, propriamente!? Inclusive ao escrever, boa parte do nosso material de trabalho e conversas em geral, muito foi criado ali. Outra função que ele exerce é a garagem, onde cabe, tranquilamente, uns cinco carros enfileirados.

Na casa, uma sala com lavabo (e chuveiro) e uma porta que abre bem pro lado de fora, só fechamos pra sair ou dormir. Em um de seus cantos uma máquina de lavar roupas, maravilha, e utensílios diversos de limpeza. Tem até pranchas de surf!

Na cozinha, bons armários, mais uma mesa espaçosa e quase tudo que se pode precisar. Só sentimos falta do filtro funcionando, uma jarra de suco, mais vasilhas e colheres, porque só havia uma grande, aí não dava mesmo… Situação que resolvemos fácil em um supermercado próximo e, melhor ainda, encontramos em um tamanho ideal pra levar na bolsa depois e reutilizar sempre, especialmente em qualquer lugar que nos oferecerem aquelas terríveis de plástico.

Agora sobre os quartos, os dois são praticamente iguais, com camas de casal, armários (sem a função cabides), tv e ar condicionado. Um deles é a suíte, menos arejada, e o outro tem uma janela pra frente da casa. Ambos muito bem equipados com roupas de cama e toalhas, escolhemos o da janela pra dormir e o outro pra deixar as malas e guardar coisas.

A casa em si, que é ideal pra dois casais, com filhos ou não, ou até seis pessoas (com mais colchonetes pela sala pode chegar a oito) é mais antiga e pede alguns reparos, mas nada grave. Inclusive, o que pudemos arrumar a gente mesmo, por que não? O Chico foi bem solícito no que precisamos, na casa – especialmente com relação à limpeza da piscina e às redes, coisa que a gente adora e que ele rapidamente nos levou uma nova ao percebermos que uma delas estava rasgada – e na cidade, nos indicando várias coisas na região e até a oficina onde tatuamos o Caetano. E assim acreditamos nessa troca: ao invés de apenas reclamar, com ele e no site, podemos colaborar com o espaço, com o proprietário e com suas sugestões pra melhorar algo – teve até uma pequena obra enquanto estivemos lá, coisa rápida. E daí seguimos nossos dias aprimorando o que estivesse ao nosso alcance pra que todos possam usufruir dessas melhorias daqui em diante.

A casa do Chico em Aracaju é perfeita pra quem, como a gente, gosta de ar livre, de sol, de ver o céu, a lua, as estrelas. De colocar os pés no chão, na grama, de ficar na piscina em qualquer hora que der vontade, mesmo que seja só os pés. De ler sentindo o vento e a maresia mais leve. É silenciosa (foram poucas as vezes em que ouvimos os vizinhos) e com bastante comércio na região, especialmente os bares e restaurantes da orla. Tem um espaço de alimentação natural bem perto, um sacolão, uma mercearia… e, claro, todo o calçadão da praia e um bom acesso a qualquer região da cidade, que tem um trânsito bem tranquilo quando comparamos a BH e Salvador, por exemplo.

O espaço é bom também pra quem gosta de festa! De aproveitar os dias em família, com amigos, na piscina, com música e comidinhas dia e/ou noite afora.

Saiba mais sobre a casa – e seu espaço externo que adoramos – e faça sua reserva ao visitar Aracaju!

Nesses dez dias por aqui pudemos perceber que Aracaju é assim, é grande e pequena ao mesmo tempo, como nossa capital mineira. É pacata, low profile, bonita e agradável sem precisar de muito alarde pra demonstrar isso. Sem precisar de eventos enormes e apelos exagerados do turismo convencional. Tudo é mais leve, mais fluido, mais calmo. Tem mar, tem rio – com canoagem, stand up paddle, lanchas e até táxi – tem sítios, tudo tão pertinho. Tem iniciativas lindas nascendo e se desenvolvendo na área do slow living, como o feito a mão, o orgânico, o vegano… É uma capital naturalmente mais slow! Adoramos. E queremos voltar. Entrou pra lista do morar também, viu? Quem sabe… Considerando nossas experiências e novas amizades por aqui, sem dúvida alguma!

Compartilhe esta história

Sobre Bruna e Ismael

Na estrada para inspirar e compartilhar mais equilíbrio e escolhas conscientes, desaceleradas e significativas. De vida, consumo, trabalho e viagens. Seus benefícios e transformações pro mundo, pra nós mesmos e ...

Publicações Relacionadas