Quaresma: silêncio e meditação como ferramentas de reconexão

Por Bruna Miranda

Publicado em , | Tags : , , , , , , , ,

Do latim, Quaresma é quadragesima dies. Quarenta dias de recolhimento como preparação para a festa da Páscoa. Algumas pesquisas mostram que a referência aos 40 dias aparece inúmeras vezes na Bíblia como um número místico ideal para renúncias e orações, uma espécie de preparo para uma grande ascensão. 40, 21, 7 ou 3 dias… católicos, hindus, muçulmanos ou protestantes…todos falam do silêncio, da meditação e da alimentação consciente como caminhos para a alma, para nosso Deus interno. Práticas que nos dariam a oportunidade de conhecermos melhor nossa essência, de fazermos uma autoanálise sobre nosso comportamento e nos propormos o abandono de velhos hábitos e crenças. Se não é possível jejuar como Moisés, que passou sem água e sem pão por quarenta dias antes de escrever na tábua os 10 Mandamentos, é possível aproveitar a quaresma como um convite para introduzir aos poucos na rotina o recolhimento e o autocentramento. Estudos comprovam que cinco minutos diários de meditação, divididos em 5 momentos de 1 minuto, já seriam suficientes para uma profunda mudança interior. 40 dias, 40 minutos, 4 minutos, 4 segundos… oportunidades de reconexão ao momento presente e atenção plena ao nosso interior. Um momento para ouvirmos e assistirmos nossos pensamentos sem julgamentos ou identificações, apenas deixando-os passar e ativando uma espécie de observador interno, que nada mais é que nosso ser superior, nossa Alma… essa sim, sempre alerta, sempre consciente, aguardando, suavemente, um momento de falar mais alto que nossa mente.

Silêncio, recolhimento e orações, valores que essa quaresma, que começou no último dia 01, traz e que, se aplicados na vida diária, podem atuar como marceneiros da nossa barca interna, nos trazendo firmeza em meio ao dilúvio inconstante e incontrolável da vida. Dono de si, o encontro com o outro e com o caos do dia a dia parece menos assustador, mais consciente, mais produtivo. Nossas reações ficam mais a nosso mando (e, portanto, menos passíveis de arrependimentos) e o dia a dia parece mais preenchido de sentido e amor. Que a quaresma seja teu estado interno de silêncio, um perene e eterno retiro que te ajude na construção do teu eixo em meio ao divino, mas agitado mar do mundo… para que depois, dono da tua firmeza, possa teu aleluia sair como canto, como dança, como parceria e troca! Quaresme-se diariamente!

* Por Lara Firmino Araújo – Jornalista, escritora e facilitadora de processos de auto-conhecimentos através de técnicas e praticas terapêuticas. Contato: laraf02@yahoo.com.br

lara firmino araujo 2 - review slow living

Compartilhe esta história

Sobre Bruna Miranda

Bruna é empreendedora e jornalista, idealizadora da plataforma Review e da revista impressa Guia Slow Living, e está experimentando uma vida nômade pelo Brasil. É movida pelo que é atemporal ...

Publicações Relacionadas