Tempo por quê?

Por Ana Rodarte

Publicado em , | Tags : , , , , ,

“…não pense em COMO encontrar tempo, pense no PORQUE de encontrar esse tempo. Com razões suficientes, todo e qualquer tempo livre na sua vida será o tempo que você precisa para dar mais um passo ao que você quer.” (Debbie Corrano para o Pequenos Monstros)

Quando a Bruna me chamou para integrar a equipe da Review Slow Living, aceitei de prontidão, antes que minha cabeça fosse inundada por perguntas. E elas vieram sem qualquer pudor ao longo das próximas semanas. Ser uma admiradora de Iris Apfel não era exatamente um problema, já que, embora inseridos em uma coleção abundante, cada um dos itens de Apfel conta um fragmento das histórias divertidíssimas vividas pela designer ao lado do marido, Carl Apfel. O que me sacudia a cabeça (e o estômago) de verdade era a viabilidade do slow living em minha rotina.

Tentei fazer um elevator pitching para poupá-los de detalhes, mas o volume das minhas tarefas foi um balde de água fria no projeto. Faço estágio em uma startup de marketing digital, a qual me dedico bastante. Devido ao número de tarefas e às constantes transformações em nossas práticas, as horas extras ficaram frequentes. Passo bastante tempo sentada, o que não só me deixa bastante estressada como também provoca muitas dores em meu corpo. Solução: procurar atividades físicas, e fogo na roupa que sou, comecei logo pelo pole dance. Por inúmeros motivos, a grana ficou curta, e tive de buscar freelances para complementar a minha renda, o que acaba ocupando várias horas que eu usaria para estudar ou descansar. Decidi tentar vestibular novamente, mesmo que o tempo para ler se resuma ao do trajeto de ônibus. Mal posso me sentar longe do computador sem cair de sono.

Ufa! Foi após um dia bastante estressante, em que passei a tarde chorando escondido por “n” motivos, que me peguei pensando no Guia Slow Living, lançado no último fim de semana. Acompanhei a sua produção de longe, e embora estivesse afastada por causa do trabalho e dos estudos, eu abria um sorriso entusiasmado para cada marca e iniciativa que brotavam das descobertas de Bruna, Luna e Sílvia. E por mais louca por moda que eu seja, eu não me encantava somente pela beleza dos produtos e serviços. O aspecto mais sensacional de tudo estava no amor e nas crenças das pessoas envolvidas. Havia sempre aquele apelo pela pausa, por viver o presente. O que até aquele dia, eu enxergava como luxo.

Talvez pela minha condição econômica, eu nunca me permiti viver de maneira leve ou não me sentir culpada por descansar. Eu ainda me sinto mal quando paro para estudar ao invés de trabalhar, e quando passo um fim semana descansando, eu começo a segunda feira com a cabeça duas vezes mais pesada. E se você conhece a rotina de um comunicador, principalmente na publicidade e no jornalismo, verá que ser um workaholic, com pouca vida social e a saúde cambaleando, é considerado bonito! Estudantes se gabam de chegar atrasados às aulas por terem ficado até tarde nas agências, mas tudo bem, porque com um pouco de Red Bull, está todo mundo no pique para a balada de sexta feira. Quem precisa de saúde quando tá todo mundo com a pele bonita e a botinha sensação da temporada?

"Viva com menos". Fonte: A Well Traveled Woman

“Viva com menos”. Fonte: A Well Traveled Woman

Céus, isto está errado. Viver com tanta pressa não só prejudica a nossa saúde financeira como é insustentável ao planeta. Ou você realmente se preocupa com o destino do seu lixo quando tem 5 minutos para comer entre um compromisso e outro?

O minimalismo tornou-se um fenômeno pop após vermos os ensinamentos de Marie Kondo, no armário cápsula popularizado por Caroline Rector e nas decorações escandinavas espalhadas em milhares de boards do Pinterest. Porém, para mim, o minimalismo e o slow living tornaram-se urgentes. Eu tenho corrido contra o tempo, em torno do meu rabo, como uma barata tontíssima. Ignoro o que realmente quero para me entregar à rotina e ao que preciso entregar para amanhã. E o amanhã se transforma em uma semana inteira. Minhas tarefas estão acumuladas e meus sonhos cobertos de teias de aranhas. Constato: vários colegas me fazem companhia neste balé absurdo.

Vivenciar um momento no presente e apenas com o essencial são desafios em uma sociedade de consumo e de informação, onde estamos constantemente conectados, recebendo informações interessantes e outras não tanto assim, a todo momento. Nossos relacionamentos tornam-se cada vez mais descartáveis, e uma baixa auto-estima é lucrativa. A geração Y, a qual pertenço, não sabe sossegar. Resta tempo e dinheiro para a saúde em meio a tudo isto? Para cuidar de quem é importante? Para pensar no próximo passo para a carreira? Para cuidar das plantinhas no jardim? Para admirar a Natureza?

Procuro formas de organizar o meu tempo e, aos poucos, diminuir o número de tarefas para me dedicar mais aos meus projetos de vida. O vegetarianismo veio a calhar, porque cuidar melhor da alimentação me pede mais atenção aos meus recursos, para me questionar de onde todos aqueles ingredientes vêm. É um tempo para me dedicar aos meus valores. O guarda-roupa também vai ganhando a minha carinha, e conta mais e mais histórias.

"Pare e cheire as rosas". Fonte: Tumblr

“Pare e cheire as rosas”. Fonte: Tumblr

O slow living nos pede organização e concentração. Como a Debbie Corrano, do Pequenos Monstros, bem disse “…não pense em COMO encontrar tempo, pense no PORQUE de encontrar esse tempo. Com razões suficientes, todo e qualquer tempo livre na sua vida será o tempo que você precisa para dar mais um passo ao que você quer”. Ainda tenho muito a fazer e tenho uma sede enorme da vida. E tanta vontade de fazer o bem exige tempo. Tempo porque o Fashion Revolution precisa de mim em seus próximos passos. Esta revolução precisa de pessoas como nós, dispostas a abraçar, com uma inocência adorável, o que há de melhor na Moda. Porque há um planeta que precisa de cuidado, e de toda a atenção que pudermos oferecer. É claro que teremos de nos empenhar: o slow living é um desafio e um gesto de resistência.

E você, encontra tempo por quê? Já se embolou na busca pelo slow living e o minimalismo? Conta pra gente!

Imagem em destaque: Blogloving

Compartilhe esta história

Sobre Ana Rodarte

Formada em Comunicação Social e estudante de Design de Produto. Com o slow, busca significados e valores dentro dos sistemas de produção têxtil. Inovação, sustentabilidade e inclusão social a moveram ...

Publicações Relacionadas